quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Aprendendo com Criminal Minds

    Quem me conhece sabe o quanto gosto de séries e filmes sobre investigações criminais. Até quem não me conhece, mas lê o que escrevo, pode perceber isso. Mas Criminal Minds, em especial, me inspira muito. Devo confessar: a primeira vez em que parei no canal AXN foi porque vi um homem lindo, de corpo esculpido em mármore negro, trajando roupas de praia. Era o ex-modelo e ator Shemar Moore (Derek Morgan*), no último episódio da primeira temporada. A visão desse deus do Olimpo me fez parar no canal... nos idos de 2007. Mas a trama me prendeu de um jeito, que passei a assistir sempre que lembrava, até me tornar fã da série e não querer perder nenhum episódio e rever sempre que possível. Até porque sempre há uma citação literária em cada episódio, afinal, todos os personagens gostam muito de literatura e estão sempre lendo algum livro.

    Trata-se de uma equipe de agentes do FBI, especializada em traçar perfis de criminosos psicopatas e seriais. Isso porque os psicopatas enganam muito bem, parecem pessoas "normais", geralmente trabalham e tem família, por isso policiais e agentes federais comuns não conseguem identificá-los. Nem todos os psicopatas tornam-se assassinos seriais, mas todos conseguem destruir vidas, sentimentos e muitos vivem normalmente em sociedade. Criminal  Minds utiliza casos que realmente acontecem nos EUA e que assustam, justamente por serem baseados em assassinos reais. Os monstros existem e podem ser seus vizinhos, amigos, pais, filhos.
      Além de ser didático, mostra uma equipe altamente especializada, profissional e que forma uma família, talvez esse seja o ingrediente de sucesso da série, a humanização desses agentes. Derek Morgan é macho alpha, mas sofreu abuso sexual de um treinador, quando era adolescente e vivia no gueto. Não acredita em Deus e foge de igrejas. Isso torna sua massa muscular invejável em um ser humano frágil e carente. Como sou um pouco obsessiva com informações sobre o que me interessa  (ou nem tanto), fiquei sabendo que Shemar Moore é a combinação genética de mãe holandesa e pai africano. Também foi ciclista e quando sua mãe foi diagnosticada com esclerose múltipla, convenceu todo o elenco do CM a fazer um passeio ciclístico pelo País, conscientizando a população sobre a doença e a importância do seu diagnóstico precoce. A liderança do personagem também está no ator.
     Poderia escrever um tratado sobre a série, comentando sobre cada personagem, fazendo sempre uma analogia com minha vida ou de pessoas que conheço. Mas prefiro me concentrar em Derek e o dr Spencer Reid (Mathew Gray Gubler). Reid é um jovem gênio (do jeito que eu gosto), médico psiquiatra, também filósofo, atormentado pelo medo que a esquizofrenia da mãe (também uma médica genial) tenha peso em seu DNA. Um personagem tão apaixonante quanto o ator. Nem precisei fazer pesquisa sobre ele, minha amiga/irmã/camarada Marcia Abad*, fez isso por mim. Mathew Gray Gubler tem uma das vozes mais deliciosas de se ouvir (Paulo Miklos/Titãs é outro) e tem um site onde mostra seus desenhos e vídeos, enquanto lê contos de Edgard Alan Poe. Também é ex-modelo. Fico sempre feliz quando descubro que os atores são maravilhosos como os personagens. Penso que o verdadeiro artista, além do talento, precisa ser sensível e generoso, porque assim é arte!
      Gubler também dirigiu um episódio que me fez chorar (será grave chorar assistindo Criminal Minds?). Era sobre uma mãe que teve o filho desaparecido há 9 anos e sempre que sabia de um desaparecimento de criança nas mesmas circunstâncias, procurava a equipe para dizer que poderia ser o mesmo serial killer. Essa mulher acabou com seu casamento e perdeu a guarda da filha menor, por viver nessa "paranoia" de querer encontrar o filho, que todos já davam como morto. Também começou a beber, mas nunca desistiu de procurar o filho, nem que fosse a procura por seus restos mortais. 
      Eis que 9 anos depois, realmente o filho estava vivo, nas  mãos de um casal de psicopatas, que sequestrava e torturava criancinhas. O menino agora era um adolescente, que ajudou a sequestrar algumas dessas crianças, como meio de sobrevivência. Foi o único que viveu tanto tempo, os outros já estavam mortos. Apenas 2 crianças são encontradas com vida. A mãe que era tirada de louca abraça o filho loucamente, após 9 anos. O pai que desistiu, que ficou com a guarda da filha, também chora. A mãe pergunta ao dr Reid o que fazer para recuperar o filho. "Com a mãe que ele tem, que nunca desistiu e sempre acreditou, ele vai superar tudo isso". Daí eu também chorei.


* Derek é o macho alpha, líder nato, que toma a iniciativa imediata quando não há tempo a perder.
* Marcia Abad é uma amiga que gosta dos mesmo filmes, livros, músicas e seriados que eu, além de ser uma engenheira, especializada na área de saúde (!). Muitas vezes vou contar algo como novidade absoluta e ela me apresenta mais "n" novidades sobre o mesmo assunto. Agradeço muito por sua amizade e conhecimento.

5 comentários:

  1. Desculpe-me ser intrometida, também sou fã viciada em CM, porém tem alguns pontos de seu texto que não batem com informações reais, primeiro D.r REID não é médico, ele possui doutorado em matemática, química e engenharia, BAs em sociologia e Psicologia, na linha Análise do comportamento, uma parte da abordagem behaviorista a TCC da psicologia e atualmente tirou seu BAs em filosofia, possui conhecimentos de especializações como estatística, antropologia, geografia, linguagem corporal, grafologia, etc, em fim, um gênio com um QI de 187. Não são todos os profilers que curtem ler, Morgan sempre está escutando música, o que tem vicio em livros é somente o doutor Reid mesmo...Mas gostei bastante de seu texto, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Clarissa, que legal!!! Obrigada por suas informações, na verdade, a mãe de Reid que é psiquiatra (é isso?). Sim, Morgan não é mesmo muito chegado em leitura, mas os episódios sempre terminam (ou começam) com citações literárias e acho isso lindo. Obrigada mesmo. Beijos

      Excluir
    2. A mãe dele é professora de Literatura do século xlx, se não me engano, ninguém possui formação em psiquiatria, somente em Psicologia, como Reid e Tara Lewis

      Excluir
  2. E verdade que cada agentes eram criminosos e por conhecer bem. O crime que praticavam foram contratados pelo FBI?

    ResponderExcluir
  3. E verdade que cada agentes eram criminosos e por conhecer bem. O crime que praticavam foram contratados pelo FBI?

    ResponderExcluir